top of page
Logotipo-GiroOSB-1.png
extra base linha.png

Três jovens músicos são aprovados para a Residência Vale Música na Orquestra Sinfônica Brasileira

Vindos de Belém (PA), Corumbá (MS) e Serra (ES), eles terão a oportunidade de participar das atividades da OSB durante seis meses



A Orquestra Sinfônica Brasileira receberá três jovens músicos oriundos do Programa Vale Música, do Instituto Cultural Vale, para uma residência artística de longa duração. Durante todo o segundo semestre de 2024, o violoncelista Valério Reis, de 21 anos; a violinista Helena Medeiros, de 25 anos; e o trompetista Lucas Damasceno, de 27 anos, terão a oportunidade única de fazer parte da rotina de uma das mais tradicionais orquestras do país. Eles vão conviver, ter aulas, realizar recitais, participar dos ensaios e se apresentar junto à OSB nos concertos da temporada.


As residências de longa duração realizadas pelo Instituto Cultural Vale em parceria com a OSB, começaram em 2022, com o objetivo de incentivar a troca de experiencias entre músicos profissionais e jovens em formação. Desde então, já trouxeram grande contribuição para os jovens que passaram pela experiência junto à orquestra, gerando vivência no mundo orquestral e abrindo portas para esses novos músicos. No processo seletivo, puderam se candidatar os instrumentistas participantes dos projetos de formação dos polos Vale Música atendidos pelo Conexões Musicais, o programa de educação musical da Orquestra Sinfônica Brasileira, que então passaram pelas etapas de inscrição, seleção, avaliação de vídeo e audição presencial.


“A Residência Vale Música é a oportunidade na qual qualquer aluno que almeja se tornar músico profissional deseja receber. Ser acompanhado por uma equipe pedagógica, ter acesso irrestrito a renomados instrumentistas e maestros, participar de aulas semanais e masterclasses, tocar ao lado dos seus professores em concertos da temporada, e realizar apresentações nas melhores salas do país, são ações que contribuem de maneira indelével para o desenvolvimento de cada um, tanto como artista, quanto como ser humano”, diz Elber Ramos, Coordenador Educacional da Fundação OSB.

“A OSB sempre representou uma ponte entre as grandes composições e os brasileiros. Somados, são quase vinte anos da parceria entre Vale e a Orquestra, essencial para que essa conexão se fortaleça e chegue a cada vez mais pessoas. A residência de longa duração faz parte disso. Não apenas como uma oportunidade única para músicos em formação, mas, também por ser uma possibilidade de criar novas possibilidades de futuro através da música”, afirma Marize Mattos, líder de Patrocínios e Projetos do Instituto Cultural Vale. 

Jovens musicistas passarão a integrar uma das maiores orquestras do Brasil


Helena é oriunda do Programa Vale Música Belém, no Pará. Valério vem do Instituto Moinho Cultural, em Corumbá, no Mato Grosso do Sul. No ano passado, Lucas Damasceno havia sido chamado como suplente do Programa Vale Música Serra e viveu somente dois meses de residência. Agora, se junta aos novos integrantes nesta oportunidade, e estão se preparando para viver um marco em suas promissoras trajetórias profissionais.


Com apenas 3 anos de idade, Helena Medeiros aprendeu a tocar violino na antiga Escola de Música SAM, de Belém, no Pará. Durante toda a adolescência, a prodigiosa aluna estudou no Conservatório Carlos Gomes, onde também fez seu bacharelado em Música com especialização em violino. Paralelo à graduação, Helena passou a integrar a orquestra do Programa Vale Música Belém, onde pôde ter aula com diversos professores, inclusive, de músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira, com quem também já teve a oportunidade de tocar no prestigiado Theatro da Paz, em outubro de 2023, e veio ao Rio de Janeiro para residências de curta duração, em que passou uma semana assistindo a aulas e ensaios.


“Acredito que esse período da residência vai ser muito enriquecedor. Fiz duas vezes a residência de curta duração em 2019 e 2022, e ter contato com esses profissionais é sempre muito inspirador. Todos eles acolheram super os alunos e eu já estou muito feliz prevendo que esses meses que eu vou ter a oportunidade de estar aí vão ser muito engrandecedores.”
Violinista Helena Medeiros no Theatro da Paz, em Belém do Pará
Helena no Theatro da Paz, em Belém (PA)

Quem também está com boas expectativas é o violoncelista Valério Reis. O jovem teve contato com a música aos 8 anos através do Instituto Moinho Cultural. Sabendo que queria ser músico, foi lá que iniciou no violoncelo, se aperfeiçoou, passou a compor a Orquestra de Câmara do Pantanal e hoje já dá aulas para outras crianças que compartilham do mesmo sonho. Através das residências pedagógicas da OSB, conheceu pela primeira vez outros violoncelistas profissionais, que visitaram Corumbá para dar aulas de instrumentos. O jovem violoncelista também já teve a oportunidade de tocar com a OSB no Concerto de Integração Vale Música, que aconteceu em novembro de 2023 no Parque Madureira, no Rio de Janeiro, e reuniu no mesmo palco a orquestra e os integrantes de polos parceiros, como ele.


Valério Reis, do Programa Vale Música Corumbá, tocando com a Orquestra Sinfônica Brasileira no Parque Madureira (RJ)
Valério Reis, do Programa Vale Música Corumbá. Foto: Luciola Villela.
“Tocar junto com a Orquestra Sinfônica Brasileira é incrível! É a realização de um sonho de muitos anos e que só alimenta a minha vontade de ser um musicista profissional, um violoncelista, um solista. Agradeço à OSB, por todo o trabalho feito pelo Conexões Musicais, ao Instituto Cultural Vale, pelas oportunidades que proporciona, e ao Moinho Cultural, onde iniciei e estou até hoje.”

Já o capixaba Lucas Damasceno, de 27 anos, é trompetista do Vale Música Serra, no Espírito Santo. Lucas começou no trompete aos 13 anos através de um projeto social chamado Banda Junior, e aos 14 iniciou os estudos na Faculdade de Música do Espírito Santo, onde hoje faz Bacharelado erudito no trompete.


“A residência pra mim é a realização de um sonho, uma oportunidade incrível, só tenho a agradecer a Deus e a todos os envolvidos por essa oportunidade.”

Lucas Damasceno, trompetista do Programa Vale Música Serra
Lucas Damasceno, trompetista do Programa Vale Música Serra. Foto: Luciola Villela.

SOBRE O CONEXÕES MUSICAIS


Democratizar o acesso à música de concerto sempre foi um dos pilares da Orquestra Sinfônica Brasileira. O Conexões Musicais, programa de responsabilidade social da instituição, foi criado em 2017 e, ao lado de outras iniciativas consagradas da OSB, como os Concertos para a Juventude e o Projeto Aquarius, tem a missão de disseminar a educação musical Brasil afora.

O Conexões Musicais já percorreu mais de 30 municípios em dez estados do país, promovendo o acesso à cultura e à informação por meio da educação musical. Este ano, a iniciativa também está ampliando as suas atividades de ensino de música orquestral em polos parceiros, além de promover ações como concertos didáticos e aulas de canto coral em escolas públicas.



SOBRE A ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA


Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira é reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes do país. Em seus 83 anos de trajetória ininterrupta, a OSB já realizou mais de cinco mil concertos e é reconhecida pelo pioneirismo de suas ações, tendo sido a primeira orquestra a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia.

Composta atualmente por mais de 70 músicos brasileiros e estrangeiros, a OSB contempla uma programação regular de concertos, apresentações especiais e ações educativas, além de um amplo projeto de responsabilidade social e democratização de acesso à cultura. 


Para viabilizar suas atividades, a Fundação conta com a Lei Federal de Incentivo à Cultura, tem o Instituto Cultural Vale como mantenedor, Shell, NTS - Nova Transportadora do Sudeste, Itaú - Redecard, Volvo, Brookfield, Sergio Bermudes Advogados e CYMI como patrocinadores, Bradesco como patrocinador de série, além de um conjunto de apoiadores culturais e institucionais.



SOBRE O INSTITUTO CULTURAL VALE


O Instituto Cultural Vale acredita que a cultura transforma vidas. Por isso, patrocina e fomenta projetos em parcerias que promovem conexões entre pessoas, iniciativas e territórios. Seu compromisso é contribuir com uma cultura cada vez mais acessível e plural, ao mesmo tempo em que atua para o fortalecimento da economia criativa.

Desde a sua criação, em 2020, o Instituto Cultural Vale já esteve ao lado de mais de 800 projetos em 24 estados e no Distrito Federal, contemplando as cinco regiões do país. Dentre eles, uma rede de espaços culturais próprios, patrocinados via Lei Federal de Incentivo à Cultura, com visitação gratuita, identidade e vocação únicas: Memorial Minas Gerais Vale (MG), Museu Vale (ES), Centro Cultural Vale Maranhão (MA) e Casa da Cultura de Canaã dos Carajás (PA). Onde tem Cultura, a Vale está. Visite o site do Instituto Cultural Vale: institutoculturalvale.org



SOBRE O PROGRAMA VALE MÚSICA


O Programa Vale Música é um projeto autoral do Instituto Cultural Vale. O programa é uma rede colaborativa de ensino e aprendizagem entre estudantes de polos musicais em quatro estados - Pará, Espírito Santo, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul - e profissionais das maiores orquestras do país. Ao todo, envolve cerca de 250 profissionais e mais de 1.000 alunos em intercâmbios, aulas e residências artísticas. São parceiras do Programa Vale Música a Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB), a Orquestra Ouro Preto, a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) e a Nova Orquestra, patrocinadas por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Saiba mais sobre o Programa Vale Música em institutoculturalvale.org






MAIS INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:

Érica Avelar

(21) 98119-4559



Comentários


bottom of page