top of page
Logotipo-GiroOSB-1.png
extra base linha.png

Orquestra Sinfônica Brasileira expande ações do programa Conexões Musicais em 2024

Programa de educação musical da Fundação OSB abre novos editais da incubadora cultural e de residências artísticas, além de aulas de instrumentos e atividades em seis estados



A Orquestra Sinfônica Brasileira inicia mais um ano de atividades do Conexões Musicais, programa de educação musical da Fundação OSB que já passou por mais de 30 cidades em 10 estados do país, levando aprimoramento e difundindo a música de concerto em novos territórios. 


Este ano, o Conexões Musicais abre novos editais para a incubadora de projetos culturais na Baixada Fluminense do Rio de Janeiro e para residências artísticas de longa duração do Programa Vale Música, que traz jovens músicos de projetos parceiros para uma imersão na OSB. O programa também segue com dezenas de atividades educativas, como aulas de instrumento, regência, arranjo, canto coral e alfabetização musical para jovens de comunidades em vulnerabilidade social.


Promover essa integração com novos territórios do país e ampliar o contato de novos públicos com a música de concerto são objetivos da Orquestra Sinfônica Brasileira para este novo ciclo, que também busca representar a riqueza e pluralidade cultural do Brasil.


O ano começa com o Conexões Musicais voltando para o Amazonas. Em março, o programa levará oficinas de bio instrumentos amazônicos e concertos didáticos gratuitos para alunos de instituições parceiras na região, contemplando as cidades de Manaus, Silves e Itapiranga.


Parte da orquestra viaja para o estado para realizar concertos no tradicional Teatro Amazonas, em Manaus, com a participação especial dos levantadores de toadas de Parintins David Assayag, Márcia Siqueira e Patrick Araújo, da Orquestra de Violões do Liceu Cláudio Santoro e dos grupos indígenas Kuiá e Tuyuka.


Já no dia 26 de março, haverá um concerto aberto no Ginásio Poliesportivo Dom Jorge Marskell, em Itapiranga, e outro no dia 28 de março, na Escola Municipal Professora Alda Amazonas Martins, em Silves, marcando um dos pilares da OSB que é democratizar o acesso à música de concerto. 



Baixada Fluminense recebe atividades de educação musical e mentoria de projetos culturais


O Conexões Musicais está ampliando suas atividades de ensino na região da Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro. Alunos de 7 escolas públicas de Nova Iguaçu, Queimados, Duque de Caxias, Paracambi e Japeri terão aulas de canto coral a partir de março, além de um projeto piloto de aula de flauta doce em uma das escolas.


Em março também voltam as aulas de instrumentos ministradas por músicos da OSB para alunos atendidos pelos projetos Orquestra Popular Ariano Suassuna, Universo da Música e Fundec - Polo de Música Ricardo Eugênio Boechat, de Duque de Caxias; pelo Instituto Pastor Augustinho Valério, em Japeri; pela Escola de Música Villa-Lobos, em Paracambi; e a partir de 2024, da Orquestra Sinfônica de Duque de Caxias e do IBME, o Instituto Brasileiro de Música e Educação, que se unem ao projeto também com atividades de imersão e ensino de música.


Além da oportunidade de estudar música orquestral e aprimorar a prática sinfônica com renomados instrumentistas, ao longo do ano esses polos também recebem ações de sustentabilidade, regência e arranjos. Por fim, cada polo receberá dois concertos didáticos, em maio e em junho, nos quais grupos de músicos da OSB se apresentam e revelam curiosidades sobre os instrumentos, a orquestra e o repertório.


Em 2024, a OSB também lança a segunda edição da Incubadora Cultural Conexões Musicais, que abre vagas de mentoria para 10 projetos culturais da região aperfeiçoarem suas iniciativas, aprendendo sobre leis de incentivo, orçamento e gestão de projetos. Assim como foi em 2023, a incubadora dura seis meses e é concluída com uma simulação de pitching com empresas parceiras da OSB. 


No segundo semestre, o público poderá presenciar o resultado dessas ações em um grande concerto gratuito a ser realizado em Nova Iguaçu, no qual os alunos dos polos dividem o palco com os músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira. As atividades na Baixada contam com o patrocínio da NTS - Nova Transportadora do Sudeste.



Novo edital para residências de longa duração no Vale Música


Em julho, a OSB retoma as residências pedagógicas nos polos atendidos pelo Programa Vale Música em Corumbá (MS), Serra (ES) e Belém (PA). Os músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira vão até as cidades para ministrar aulas aos jovens atendidos pelos programas, voltadas ao aprimoramento de técnica instrumental, prática de concerto, interpretação de estilos, entre outras atividades. 


Ao longo do ano, os alunos do Programa Vale Música também poderão participar de uma imersão artística, convidados a conhecer, estudar e ensaiar na sede da OSB, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro.


Um projeto de sucesso que se repetirá em 2024 são as residências de longa duração. Já há um edital em andamento em que três estudantes, um de cada polo do Programa Vale Música, serão selecionados para viverem uma residência artística de seis meses no Rio de Janeiro, acompanhando toda a agenda da Orquestra Sinfônica Brasileira de perto, com ensaios, concertos e muito mais. As audições acontecem em abril, e a residência vai de Junho a Dezembro.


Um grande concerto de integração também está previsto para outubro, marcando o encerramento das atividades. As ações têm patrocínio do Instituto Cultural Vale.



Jovens com superdotação do Instituto Apontar também terão atividades intensificadas


A OSB segue na parceria com o Instituto Apontar, firmada desde 2021, engajando famílias de baixa renda do Rio de Janeiro em atividades musicais.


A partir de março, serão oferecidas aulas de teclado e violão para cerca de 40 alunos atendidos pelo instituto. Técnicas básicas do instrumento e fundamentos musicais serão abordados nas aulas. Estão mantidas também as classes de canto coral, com inscrições abertas aos responsáveis dos alunos, potencializando o alcance do programa à comunidade.


Para colocar em prática tudo que foi aprendido, os alunos participarão de uma grande apresentação ao lado de músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira, em novembro, em um concerto de integração.


Instituto Apontar atende crianças com superdotação de famílias em vulnerabilidade socioeconômica do Rio de Janeiro, e conta com o patrocínio da Brookfield, uma das maiores gestoras de ativos alternativos do mundo e mais de 120 anos de atuação no Brasil.



A ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA:

Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira é reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes do país. Em seus 83 anos de trajetória ininterrupta, a OSB já realizou mais de cinco mil concertos e é reconhecida pelo pioneirismo de suas ações, tendo sido a primeira orquestra a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia.

Composta atualmente por mais de 70 músicos brasileiros e estrangeiros, a OSB contempla uma programação regular de concertos, apresentações especiais e ações educativas, além de um amplo projeto de responsabilidade social e democratização de acesso à cultura. 


Para viabilizar suas atividades, a Fundação conta com a Lei Federal de Incentivo à Cultura, tem o Instituto Cultural Vale como mantenedor, Shell, NTS - Nova Transportadora do Sudeste, Itaú - Redecard, Volvo, Brookfield, Sergio Bermudes Advogados e CYMI como patrocinadores, Bradesco como patrocinador de série, além de um conjunto de apoiadores culturais e institucionais.


SIGA A OSB:

Facebook – /orquestrasinfonicabrasileira

Youtube – /sinfonicabrasileira

Instagram - @OSBrasileira



MAIS INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:

Érica Avelar

erica.avelar@osb.com.br

(21) 98119-4559


Comments


bottom of page